Vegetarianismo e Vitamina B12

Vegetarianismo e Vitamina B12

De acordo com a Associação Dietética Americana (American Dietetic Association), as dietas vegetarianas e veganas podem ser consideradas seguras e benéficas durante todos os ciclos da vida – criança, gestante, lactante, idoso – e, quando bem planejadas, podem trazer benefícios para a saúde e auxiliar na prevenção e tratamento de diversas doenças crônicas e degenerativas, responsáveis pelas principais causas de morte entre a população, conforme dados da Organização Mundial da Saúde. Porém, como qualquer outra dieta, se não for equilibrada, pode ser deficiente em algumas principais fontes de nutrientes e atrapalhar o sistema imunológico.

Existem alguns tipos de vegetarianismo, que não consomem quaisquer tipos de carnes, sendo classificados da seguinte forma: 

Ovolactovegetariano é o vegetariano que mantém o consumo de ovos, gemas e laticínios na dieta. 

Lactovegetariano é o vegetariano que não utiliza ovos, mas mantém o consumo de laticínios na dieta. 

-Ovovegetariano é o vegetariano que não utiliza laticínios, mas mantém o consumo de ovos na dieta. 

- Vegetariana estrita é o vegetariano que não utiliza alimentos de origem animal na sua alimentação. Além das carnes, ovos e lácteos, também exclui o consumo mel e a gelatina. 

- Vegano é o indivíduo vegetariano estrito que também recusa o uso de animais para fins não alimentícios, como vestimentas de couro, lã e seda, produtos testados em animais e entretenimento que inclui animais. O veganismo pode ser considerado um estilo de vida baseado em princípios éticos, já que abrange não apenas uma dieta sem produtos de origem animal. 

Por mais que consigamos vitaminas importante para o organismo em dietas vegetarianas, como vitamina B1, vitamina B6, K e vitamina C presentes em frutas, verduras, cereais, principalmente os integrais e grãos, mas quando pensamos nisso, existem alguns tipos de vitaminas que não são obtidas por esse tipo de alimentação, como a B12, a não ser que este alimento seja fortificado com B12

As fontes alimentares de vitamina B12 são as carnes, leites e ovos, principalmente. Contudo, ainda que vegetarianos estritos precisem necessariamente da suplementação, a deficiência de vitamina B12 ocorrem em cerca de 40% e 50% dos vegetarianos e onívoros, respectivamente.

A vitamina B12, conhecida também como cobalamina, auxilia na formação de células vermelhas do sangue, no funcionamento do sistema imune, metabolismo energético, metabolismo dos carboidratos, proteínas e gorduras. Portanto, a deficiência dessa vitamina pode levar à ruptura do DNA e metabolismo celular e ter graves consequências clínicas como, por exemplo, redução das funções neurológicas, glossite, anemia macrocítica, fadiga e perda de apetite.

Como ocorre a degeneração da bainha de mielina, a condução do estímulo nervoso é prejudicada. Por esta razão, pode ocorrer alteração da sensibilidade dos pés, irritabilidade, comprometimento da memória, diminuição da concentração e agitação. 

A deficiência de B12 é relativamente comum, seu diagnóstico é feito mediante avaliação sanguínea. Grande parte dos laboratórios utilizam valores de referência entre 200 - 900 pg/ml, porém, trata-se de uma faixa muito ampla e sabe-se que a melhora dos sintomas de deficiência ocorre com valores acima de 500 pg/ml. 

Assim, é fundamental avaliar os exames bioquímicos em todas as pessoas (onívoros ou vegetarianos), visto que há diversas causas de deficiência de vitamina B12 além da ingestão inadequada, como má absorção de vitamina B12 ligada à alimentação, falta de fator intrínseco ou uso crônico de medicamentos antiácidos, ingestão de bebidas alcoólicas.

É importante lembrar que a suplementação de B12 nunca deve ser realizada pela própria pessoa, mas sim por auxílio de um profissional capacitado, podendo ser um médico ou nutricionista. 

 

WJ, Craig. Position of the American Dietetic Association: Vegetarian Diets. Journal Of The American Dietetic Association, [s.l.], v. 109, n. 7, p.1266-1282, jul. 2009. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.jada.2009.05.027.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). The top 10 causes of death. WHO, 2018. Disponível em: <http://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/the-top-10-causes-of-death>. Acesso em: ago. 2018.

SOCIEDADE VEGETARIANA BRASILEIRA (SVB). Guia Alimentar de Dietas Vegetarianas para Adultos. São Paulo: SVB, 2012. Disponível em: <www.svb.org.br/livros/guia-alimentar.pdf>.

Zeuschner CL. et al. Vitamin B₁₂ and vegetarian diets. Med J Aust. V:19;199(4 Suppl):S27-32, Aug 2013. 

SLYWITCH, E. Alimentação Sem Carne: guia prático. 2ª edição. SP: Alaúde; 2015. 

Oh RC, Brown DL. Vitamin B12 deficiency. Am Fam Physician 2003; 67: 979–86. 

KLACK, Karin; CARVALHO, Jozélio Freire de. Vitamina K: metabolismo, fontes e interação com o anticoagulante varfarina. Rev. Bras. Reumatol., São Paulo , v. 46, n. 6, p. 398-406, Dec. 2006 .

DORES, Sílvia Maria Custódio das; PAIVA, Sérgio Alberto Rupp de; CAMPANA, Álvaro Oscar. Vitamina K: metabolismo e nutrição. Rev. Nutr., Campinas , v. 14, n. 3, p. 207-218, Dec. 2001 .

REZENDE, Jacqueline Rodrigues et al. Diagnóstico da deficiência de vitamina K. Revista Científica do ITPAC, v. 5, n. 1, p. 1-6, 2012.

https://assets.unitpac.com.br/arquivos/Revista/51/4.pdf

SOUZA, Walnéia Aparecida de; BOAS, Vilas; DA COSTA, Olinda Maria Gomes. A deficiência de vitamina A no Brasil: um panorama. Revista Panamericana de Salud Pública, v. 12, p. 173-179, 2002.

https://www.scielosp.org/article/rpsp/2002.v12n3/173-179/es/

MANSUR, Luciana Muller. Vitaminas Hidrossolúveis no metabolismo. https://www.ufrgs.br/lacvet/restrito/pdf/vitaminas_hidro.pdf

 

 

Por Nutricionista Priscila Mazza

Editado por Nutricionista Juliana Maciel

Revisado e otimizado por agência MAG Comunicação