Spirulina: o que é, como tomar e para que serve?

Nutrição -

Spirulina: o que é, como tomar e para que serve?

Escrito por Gabriela Ghilardi e revisado por Barbara Vaz.

O que é a spirulina?

A spirulina ou espirulina é uma cianobactéria, conhecida popularmente como microalga. Ela é utilizada na alimentação humana há milênios, e foi chamada de “superfood” pelo seu alto teor de nutrientes e benefícios à saúde. Vamos conhecê-la um ppouco melhor neste artigo!

Seu cultivo pode ser feito em água doce ou salgada e apresentar cor verde-azulada. É considerada uma das formas de vida mais primitivas da Terra e pode ser comercializada na forma desidratada, em comprimidos, cápsulas ou em pó, podendo ser encontrada em lojas de produtos naturais e suplementos.

A composição nutricional da spirulina é riquíssima em:

- Fonte de proteínas;

- Vitamina B12;

- Antioxidantes;

- Aminoácidos essenciais;

- Vitaminas como complexo B, E;

- Minerais como zinco, selênio, ferro, cálcio e manganês;

- Carotenóides;

- Ácidos graxos saturados e insaturados.

Importante reforçar que a spirulina não deve ser utilizada como substituição proteica e suplementação de vitamina B12 e, sim, pensar no uso deste suplemento apenas como um complemento no consumo de proteínas e de vitamina B12, dentro de uma alimentação e/ou suplementação adequada e equilibrada.

 

Para que serve a spirulina?

Entre as alegações de benefícios à saúde proporcionados pela spirulina, derivadas de seus componentes nutricionais e funcionais estão:

- Suporte para a perda de peso;

- Redução da pressão arterial;

- Melhora do perfil lipídico e diminuição dos triglicerídeos séricos;

- Propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias;

- Efeito imune estimulante;

- Contribui para força e resistência muscular.

  

Como tomar?

Como mencionado anteriormente, é possível encontrar a spirulina em cápsula, comprimido e em pó. Ela pode ser ingerida apenas com água ou adicionada a outros alimentos, como sucos e frutas. 

A quantidade diária varia de acordo com o objetivo de cada um. Os estudos apontam a suplementação de spirulina, com doses que variam de 1 – 8g/dia.

Vale destacar, no entanto, que somente um médico ou nutricionista é capaz de indicar a dosagem ideal para cada caso, bem como a melhor forma de ingestão.




REFERÊNCIAS 

Großhagauer, S., Kraemer, K., & Somoza, V. (2020). The True Value of Spirulina. Journal of Agricultural and Food Chemistry. doi:10.1021/acs.jafc.9b08251

Finamore, A., Palmery, M., Bensehaila, S., & Peluso, I. (2017). Antioxidant, Immunomodulating, and Microbial-Modulating Activities of the Sustainable and EcofriendlySpirulina. Oxidative Medicine and Cellular Longevity, 2017, 1–14. doi:10.1155/2017/3247528

EDWARDS Sarah; DA COSTA Inês et al. Phytopharmacy an Evidence-Based Guide to Herbal Medicinal Products: Spirulina. 1. United Kingdom: WILEY, 2015.

NGO-MATIP Marthe-Elise; PIEME Constant et al. Impact of daily supplementation of Spirulina platensis on the immune system of naïve HIV-1 patients in Cameroon: a 12-months single blind, randomized, multicenter trial. Nutritional Journal. 14. 2015