Ovolactovegetarianismo: você sabe o que é?

dieta vegetariana, lactovegetariano, ovolactovegetarianismo, ovovegetariano, tipos de vegetarianismo, vegano, vegetariano estrito, vegetarianos -

Ovolactovegetarianismo: você sabe o que é?

Por Camila Ataide | Revisado e Editado por Nutricionista Juliana Maciel


Embora ainda, nos dias de hoje, se acredite que vegetariano coma apenas peixe, quem adota fielmente esse estilo de vida não alimenta-se de nenhum tipo de carne (vaca, frango, peixe, frutos do mar) e seus derivados (presunto, salsicha, salame).

Mas será que a dieta ovolactovegetariana realmente traz benefícios à saúde, fornece proteína suficiente para o corpo, além de ferro de boa qualidade? 

Neste artigo você irá descobrir tudo isso e mais um pouco. Confira!


Por que uma pessoa se torna vegetariana?

As motivações para se tornar vegetariano são as mais diversas, mas as principais são: a ética animal, seguida da saúde e conservação do meio ambiente.


Os diferentes tipos de vegetarianismo

O que diferencia os tipos de vegetarianismo é a inclusão ou exclusão de alimentos derivados de animais na alimentação diária, sendo eles:

VEGETARIANO ESTRITO* – não consome nenhum tipo de carne, ovos, mel, laticínios e produtos que incluam derivados animais (como gelatina, albumina, proteínas do leite, alguns corantes e espessantes).

LACTOVEGETARIANO – não consome nenhum tipo de carne e ovos, mas consome laticínios.

OVOVEGETARIANO – não consome nenhum tipo de carne e laticínios, mas consome ovos.

OVOLACTOVEGETARIANO – não consome nenhum tipo de carne, mas consome ovos e laticínios.

*O vegano é um vegetariano estrito, que opta por retirar todos os derivados de animais, inclusive do vestuário, cosméticos e de qualquer item que contenha ingrediente animal. Vai além da alimentação. Logo, a diferença entre um ovolactovegetariano e o vegano, é que esse último, além de não consumir ovos, leite e mel, também não faz uso de nenhum produto que contenha derivados animais.


As dietas vegetarianas, quando bem planejadas (assim como todas devem ser), são capazes de fornecer os nutrientes necessários, inclusive proteínas e ferro suficientes para nos manter saudáveis.

A dieta ovolactovegetariana e lactovegetariana bem planejadas, fornecem todos os nutrientes ao corpo sem a obrigatoriedade de suplementação. 

MAS, ATENÇÃO!

A suplementação de vitamina B12 é necessária em uma alimentação vegetariana-estrita, por ser encontrada apenas em alimentos de origem animal (carnes vermelhas, ovos, leite e derivados).


Mas, afinal, as dietas vegetarianas trazem benefícios à saúde?

Elas são benéficas não apenas para a saúde humana, mas para o Planeta! 

Existem diversos estudos e órgãos importantes de saúde, como a Associação Dietética Norte-Americana (ADA) e a Associação de Nutricionistas do Canadá, que apontam inúmeros efeitos positivos da alimentação vegetariana.

Mas, independentemente de apresentar o consumo de ovos e leite ou derivados, os benefícios do ovolactovegetarianismo estão associados à ingestão de frutas, verduras, legumes, grãos e leguminosas como a base da alimentação. Alguns deles são:


AUMENTO DA IMUNIDADE

imagem com diversas frutas para ilustrar conteudo sobre aumento da imunidade com ovolactovegetarianismo

Devido ao maior consumo de alimentos vegetais, os vegetarianos apresentam maiores quantidades de antioxidantes no organismo, o que contribui para o aumento do sistema imune.

REDUÇÃO DO RISCO DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES

Os menores níveis de pressão arterial e de colesterol — que são geralmente 14% mais baixos em ovolactovegetarianos em relação aos onívoros —, auxiliam a prevenir o surgimento de doenças relacionadas ao coração, como o infarto agudo do miocárdio.

REDUÇÃO DO RISCO DE DIABETES TIPO 2

O risco de vegetarianos apresentarem diabetes é 50% menor, quando comparado aos onívoros, devido ao menor nível de açúcar no sangue e maior sensibilidade à insulina.


PREVENÇÃO DE CÂNCER

O consumo de verduras, frutas e cereais integrais está associado à prevenção de diversos tipos de câncer, principalmente de intestino grosso e próstata. Estudos demonstram que isso ocorre devido à presença de maiores quantidades de fibras, substâncias e vitaminas antioxidantes e anti-inflamatórias na alimentação.

PERDA DE PESO

Alguns estudos indicam que os vegetarianos apresentam menor peso, em comparação com os onívoros. Porém, isso não significa que a dieta vegetariana é sinônimo de emagrecimento. 

Tudo depende da elaboração da dieta, estilo de vida e composição corporal do indivíduo, afinal, óleos e açúcares podem fazer parte da dieta vegetariana.


4 passos para se tornar vegetariano com consciência


1. AVALIE SUA PREPARAÇÃO PARA PARAR DE CONSUMIR CARNE

Se a sua vontade já for suficiente para não consumir carnes, fortaleça suas razões através de livros, sites e vídeos de especialistas sobre o assunto.

2. ESCOLHA O TIPO DE DIETA VEGETARIANA QUE PRETENDE SEGUIR

Embora a dieta vegetariana-estrita seja a mais ética e sustentável, além de segura (quando bem equilibrada), ela vai exigir muito mais de você. Caso ainda não se sinta preparado, a dieta ovolactovegetariana pode ser uma alternativa mais simples para iniciar a transição e ser seguida fora de casa.

3. EXPLORE OS SEUS DOTES CULINÁRIOS

imagem de um homem cozinhando para ilustrar conteudo sobre dotes culinarios em material sobre ovolactovegetarianismo

Não há a necessidade de se tornar um chefe de cozinha, mas é importante aprender o básico para conquistar a sua autonomia alimentar e não ficar refém dos alimentos industrializados ou da ajuda de familiares, principalmente se for o único vegetariano da casa.

4. FAÇA ACOMPANHAMENTO MÉDICO E NUTRICIONAL

Independentemente de ser ou não vegetariano, acompanhar a saúde faz toda a diferença. Fazer check-ups anuais e entender a demanda de nutrientes de forma individual, poderá auxiliar para o sucesso de qualquer escolha alimentar que desejar seguir.

De forma resumida, a dieta ovolactovegetariana — rica em alimentos de origem vegetal —  é capaz de suprir todas as nossas necessidades nutricionais, quando comparada a uma dieta com carne, pois fornece carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas, minerais e fitoquímicos em ótimas quantidades. 

Ainda pode proporcionar maior qualidade de vida e longevidade para a saúde humana e do planeta Terra.

REFERÊNCIAS

SLYWICTH, E. Guia Alimentar de Dietas Vegetarianas para Adultos. Florianópolis: Sociedade Vegetariana Brasileira, 2012.

SLYWICTH, E. Alimentação Sem Carne. 2ª Edição. São Paulo: Editora Alaúde, 2015.

KAHLEOVA, H.; et al. Vegetarian diet improves insulin resistance and oxidative stress markers more than conventional diet in subjects with Type 2 diabetes. Diabet Med, 2011. 28(5): p. 549-59.

FRASER, G. E. Associations between diet and cancer, ischemic heart disease, and all-cause mortality in non Hispanic white California Seventh-day Adventists. Am J Clin Nutr, 1999. 70(3 Suppl): p. 532S-53

MCCARTY, M.F., Vegan proteins may reduce risk of cancer, obesity, and cardiovascular disease by promoting increased glucagon activity. Med Hypotheses, 1999. 53(6): p. 459-85.